Práticas na alimentação infantil entre mães obesas e eutróficas

Desenvolvimento da obesidade infantil: práticas de alimentação infantil precoce de mães com sobrepeso/obesidade em comparação com mães de IMC normal.
OBJETIVO:
O objetivo deste estudo foi descrever as práticas de alimentação infantil precoce entre as mães com sobrepeso/obesidade  por meio do estudo Infant Feeding Practices Study II (IFPS II).
MÉTODOS:
Neste estudo, foram utilizados dados relativos aos primeiros 2 meses após o parto do IFPS II. Foram incluídas 2387 mães que forneceram informações sobre os hábitos de alimentação dos recém nascidos nos dois primeiros meses de vida.
RESULTADOS:
Mães com sobrepeso/obesidade eram menos propensas a amamentar exclusivamente nos primeiros meses. Além disto, estas mães eram mais propensas à uma amamentação irregulas de baixa intensidade comparada às mães de IMC normal. Após  regressão logística  com controle de fatores de confusão, mães obesas foram 1,38 (95% CI: 1,11, 1,72) vezes mais chances de apresentar alimentos sólidos para seus filhos antes dos 4 meses de idade, e  1,37 (95%  CI: 1,10, 1,89 ) vezes mais chances de adicionar cereal à fórmula infantil do que mães com IMC eutrófico.
CONCLUSÕES:
Em conclusão, as mães com sobrepeso/obesidade não só ficam abaixo das diretrizes de prática clínica em relação à amamentação, mas também são mais propensas a iniciar a introdução precoce (<4 meses idade da criança) para alimentos sólidos em. Sugerindo que as intervenções devem ser direcionados para este grupo.
Fonte: J Matern Fetal Neonatal Med. 2016 Jan;29(2):290-3

 

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *