Ortorexia Nervosa: transtorno alimentar ou reflexo do TOC?

Por Anna Gomes e Silvia Ramos

Sabe-se que no mundo moderno as mídias sociais reforçam a todo momento a imagem corporal atrelada a um padrão de beleza, tendo uma valorização do físico que gera um prejuízo à saúde mental da população. A busca pelo corpo impecável tem ocorrido cada vez mais cedo na vida das pessoas, tendo um enaltecimento da magreza para as mulheres e músculos para os homens.

Esta preocupação com o corpo gera um conflito na relação do indivíduo com a comida. O estudo em questão realizou uma revisão bibliográfica, buscando correlacionar o Transtorno obsessivo compulsivo (TOC) com o desenvolvimento da ortorexia.

A ortorexia nervosa pode ser considerada um distúrbio alimentar, nesta situação a pessoa passa a se alimentar somente de “alimentos puros”, tornando a dieta extremamente restrita. Desta forma, alimentos que foram tratados com pesticidas, herbicidas ou substâncias artificiais não entram em sua rotina alimentar, além disso existe uma preocupação com as técnicas utilizadas para o preparo do alimento. O indivíduo desenvolve um ritual a ser seguido para a escolha dos alimentos, preparo e a alimentação, estes rituais levam cerca de 2h ou mais por dia e podem gerar culpa ou prazer, dependendo do resultado final.

Com o tempo o indivíduo com ortorexia para de participar de encontros sociais que envolvam a alimentação, já que nessas situações os alimentos disponíveis fogem do seu controle. Diferente de outros tipos de transtornos, no estudo em questão, foi identificado que este distúrbio é mais comum no sexo masculino. Alguns grupos mais suscetíveis a este quadro são profissionais da saúde, como médicos e nutricionistas.

A ortorexia nervosa não é um transtorno alimentar com critérios diagnósticos descritos pelo DSM-5, mas estudos identificaram que há uma sobreposição neuropsicológica entre TOC e ortorexia. Sabe-se que o TOC raramente acontece sozinho, tendo sempre outros transtornos atrelados a ele, desta forma a relação com a alimentação pode estar relacionada. É possível identificar uma maior tendência à presença de ortorexia em indivíduos com TOC, pois este distúrbio envolve uma atenção extrema voltada aos alimentos que não está necessariamente atrelada a uma vontade de emagrecer ou medo de engordar (que é presente em transtornos como anorexia e bulimia), e sim a uma ritualização que envolve todo o processo da alimentação.

Os autores concluem afirmando o fato de ainda existirem poucos estudos a respeito da ortorexia nervosa e a necessidade de buscar classificar este comportamento como um transtorno alimentar ou fruto do TOC. De qualquer forma, é necessário atentar-se a comportamentos ritualizados e extremos a respeito da alimentação, que podem ser indicativos de distúrbios alimentares.

Referência

JR, Luís Alberto Silveira; et al. ORTOREXIA NERVOSA E TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO: QUAL A RELAÇÃO?. Psicologia Hospitalar, 2015. vol. 13, n. 2, p. 47 – 63. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-74092015000200004>

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *