Ministério da Saúde lança protocolos para uso do Guia Alimentar Para a População Brasileira na Atenção Primária

Por Elizabeth Mendes e Silvia Ramos

Foi lançado recentemente pelo Ministério da Saúde (MS) dois fascículos com protocolos para o uso do Guia Alimentar Para a População Brasileira pelas equipes da Atenção Primária no Sistema Único de Saúde (SUS). A primeira versão disponível é para o atendimento da população adulta, e a segunda para a pessoa idosa.

Estes novos protocolos trazem o Guia Alimentar como uma tecnologia para se utilizar na orientação alimentar individual em diferentes fases e eventos do ciclo da vida de pessoas atendidas na Atenção Primária de Saúde (APS).

Através da avaliação do consumo e dos modos de comer é investigado as práticas alimentares do indivíduo na APS, tendo assim, um melhor direcionamento para o diagnóstico e orientações. Vale ressaltar que a atenção nutricional no SUS está ligada a uma rede de cuidados através do trabalho multidisciplinar.

O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) disponibiliza um documento simples que permite uma rápida avaliação do consumo alimentar, o Formulário Marcadores de Consumo Alimentar. Partindo da aplicação deste formulário, o MS apresenta 5 passos para a utilização do protocolo:

  1. Preencha o formulário Marcadores de Consumo Alimentar para Uso na Atenção Primária (SISVAN e/ou e-SUS).
  2. A partir da identificação dos marcadores de alimentação saudável (consumo de frutas, legumes, verduras e feijão) e não-saudável (consumo de ultraprocessados), siga para o fluxograma.
  3. Faça as orientações alimentares sugeridas no fluxograma seguindo as etapas.
  4. Quando o usuário apresentar uma prática alimentar adequada (não realiza refeições assistindo à televisão), valorize a prática alimentar baseando-se nas justificativas presentes na orientação correspondente e estimule a continuidade desses hábitos.
  5. Ao longo das consultas vá avançando nas etapas da orientação alimentar.

No documento é possível ter acesso ao fluxograma completo citado no passo 3, e logo em seguida é descrito uma série de recomendações com base no fluxograma, a fim de auxiliar o profissional na condução das orientações.

O MS ressalta também a importância da utilização de uma linguagem simples e clara, sem expressar julgamentos, considerando a capacidade auditiva e visual do indivíduo.

Acesse o Fascículo 1 para População Adulta clicando aqui.

Acesse o Fascículo 2 para População Idosa clicando aqui.

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *