Highlights Congresso Brasileiro de Diabetes

Sem dúvida o  assunto  microbiota esteve em foco  no  XXI Congresso da Sociedade Brasileira de Diabetes que ocorreu entre os  dias  11 e 18  de  novembro em  São Paulo.

Na tradicional  competição entre firmicutes e bacterioidetes   pela  microbiota saudável  alguns pontos  relevantes podem ser destacados:

Aterosclerose

Em indivíduos  com disbiose a Colina é transformada em Trimetilamina (TMA), a fosfatidilcolina e L-carnitina dietética também são substratos para a formação de TMA. Este composto é absorvido e posteriormente convertido em N-óxido de trimetilamina (TMAO). A TMAO foi  encontrada em células espumosas demostrando  seu poder aterogênico. A modulação da microbiota intestinal pode ser alternativa à prevenção de doenças cardiovasculares. A administração de probióticos diminui a produção de TMA e, portanto de TMAO.

Resistencia à insulina

Alguns mecanismos  de resistência  à  insulina estão cada vez mais relacionados  à microbiota. A  maior  proporção de  firmicutes  está relacionada aumento da produção da LPS (lipopolissacarídeo bacterianos). A LPS  atua negativamente na sinalização intracelular  não  permitindo a  fosforilação  dos IRS para ativação  do  Glut4.

Obesidade

Alguns estudos trouxeram a relação  com  tipo de ácido  graxo de cadeia  curta (AGCC)  produzidos pela  microbiota  e a sua  relação com aumento da  secreção de GLP1 e Pyy com  foco  no aumento da saciedade.

Adoçantes

Ainda com estudos  experimentais, pode se observar que independente do  tipo  de edulcorante há alterações  na microbiota. Embora mecanismos  ainda não sejam  claros  a recomendação é manter a quantidade indicada  para consumo.

Cicatrização

Também de forma experimental,  estudos  sinalizam  que  a suplementação de probióticos pode estar relacionado a melhor e mais  rápida cicatrização.

DM gestacional

A resistência  insulina  é  uma condição  independente na gestação.  A maior parte dos  estudos apresentados  ocorreram durante o  3º  trimestre de gestação e  tiveram duração  média 6 a 8. Semanas. Gestantes receberam  suplementação de probióticos e 1×108 ou 1×109   e  apresentaram que  a modulação da microbiota da mãe pode contribuir   positivamente para evitar a disbiose neonatal. Entretanto,  existem outros  fatores que  devem ser controlados.

Silvia  Ramos

Nutricionista-  CRN 10908

Membro do Departamento de Nutrição da  Sociedade Brasileira de Diabetes

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *