Diabetes tipo 2 e consumo de proteínas: entenda o impacto na glicemia noturna

Por Elizabeth Mendes e Silvia Ramos

Diabetes Mellitus (DM) é uma condição crônica na qual há uma hiperglicemia crônica devido a deficiência na produção de insulina ou na sua ação, ou em ambos os mecanismos. Como parte do manejo glicêmico, a Associação Americana de Diabetes (ADA) recomenda que indivíduos adultos com DM tipo 2 atinjam uma Hemoglobina glicada (HbA1c) de 7%, diminuindo assim, o risco de complicações microvasculares. Além das possíveis medicações, a alimentação é imprescindível para que as metas (como por exemplo, glicêmicas) sejam atingidas.
Estes pacientes podem apresentar o Fenômeno do Alvorecer, o qual é caracterizado pela elevação da glicemia nas primeiras horas do dia, mesmo com a ausência de ingestão de alimentos. Desta forma, uma boa estratégia alimentar é incorporar um lanche antes de dormir. Porém, a composição desta refeição deve ser pensada a fim de evitar variações glicêmicas durante a noite e hiperglicemias matinais.
Um estudo publicado na Clinical Nutrition ano passado investigou e comparou se a ingestão de lanches com proteínas e baixo teor de carboidratos versus lanches com proteínas e alto teor de carboidratos versus controle (sem lanche) antes de dormir pode reduzir os níveis plasmáticos de glicose em jejum. Abaixo é possível observar as principais características do estudo:
● 15 voluntários com DM tipo 2, sendo 10 mulheres e 5 homens, participaram das intervenções. A média de idade foi de 64 anos;
● O estudo tem o desenho crossover, ou seja, todos os voluntários participaram dos 3 tipos de comparação → 3 dias consumindo dois ovos cozidos OU 2 iogurte grego com frutas OU sem lanche antes de dormir;
● Os participantes receberam todas as suas refeições de maneira padronizada e pré-embaladas, e tais foram estruturadas de acordo com as preferências alimentares;
● A distribuição de macronutrientes de todo o plano individualizado foi realizada com base nas diretrizes da Associação Canadense de Diabetes, fornecendo 45% de carboidratos (alimentos com baixo índice glicêmico), 30% de gorduras e 25% de proteínas;
● Todos os participantes receberam o monitor de glicose contínuo (CGM) para assim facilitar as medições, porém, os mesmos foram instruídos a fazer 4 medições da glicemia capilar por dia para auxiliar na calibração do CGM → antes do café da manhã, almoço, jantar e hora de dormir.
Foi observado que o lanche noturno contendo proteína e baixo teor de carboidrato pode ser benéfico para indivíduos com DM tipo 2, pois diminuiu a glicose e insulina plasmática em jejum, melhorou o índice de verificação de sensibilidade à insulina quantitativa (QUICKI) e reduziu a glicose noturna (monitorada através do CGM).
Contudo, os pesquisadores destacam as limitações do estudo: estes achados não indicam que um lanche antes de dormir é melhor do que não consumir nenhum lanche para o objetivo de manejo glicêmico. Porém, quando optado pelo paciente e nutricionista, o lanche com baixo teor de carboidratos parece ser uma melhor opção quando comparado a um com alto teor. Além disso, eles destacam a importância de mais estudos que revelem se outros alimentos, além do ovo, podem ser benefícios para este objetivo.

Referência
ABBIE, Erica; FRANCOIS, Monique E.; CHANG, Courtney R.; BARRY, Julianne C.; LITTLE, Jonathan P. A low-carbohydrate protein-rich bedtime snack to control fasting and nocturnal glucose in type 2 diabetes: A randomized trial. Clinical Nutrition, Luxemburgo, v. 29, n. 12, p 3601-3606, Dez. 2020.

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *