Descubra a ação dos fitoterápicos na mucosa oral

Por Anna Gomes e Silvia Ramos

A mucosite oral acomete os pacientes que passam por tratamento com quimio ou radioterapia. Nos tumores de cabeça e pescoço, cerca de 97% dos indivíduos apresentam esta condição. Este estado da mucosa, gera um grande fator de risco ao desenvolvimento de fungos e colonização de bactérias devido ao fato de expor o tecido conjuntivo, desta forma o quadro se agrava, causando dor e podendo levar a sepse.

O tratamento da mucosite oral vai de acordo com o grau de classificação de cada paciente, podendo ser tratados convencionalmente com medicamentos. Atualmente surgiram estudos que demonstram a efetividade dos fitoterápicos nesta condição, tendo em vista que alguns podem apresentar inclusive ação antimicrobiana. O estudo em questão realizou uma revisão de literatura a fim de verificar possíveis opções de fitoterápicos no tratamento da mucosite oral.

Identificou-se que o uso de compostos com Própolis (Apis mellífera L) apresentam efetividade após o 7° dia de uso, além disso, por sua ação antimicrobiana, antifúngica e antiinflamatória foi possível identificar uma menor incidência de microorganismos patógenos. Positivamente, o própolis não afeta a microflora do ecossistema oral. Desta forma, o gel de própolis é considerado uma forma segura de prevenir e tratar a mucosite oral.

Outra substância analisada foi a Babosa (Aloe vera), desta planta é possível realizar a extração de seu gel, que em análise laboratorial mostrou-se rico em vitaminas, minerais, aminoácidos e carboidratos. Estudos demonstraram que o gel de babosa é capaz de prevenir a mucosite oral e diminuir a candidíase oral, por sua propriedade antifúngica e imunomoduladora. Alguns estudos demonstram também que o suco com o gel de A. vera são efetivos na prevenção da mucosite.

A Camomila (Matricaria chamomilla) é uma das plantas medicinais mais populares no mundo, suas propriedades se dão devido a alta concentração de terpenos, flavonóides e mucinas. A respeito desta planta o autor concluiu que existem poucos ensaios clínicos comprovando sua eficácia, porém os existentes demonstram uma efetividade com um bom potencial cicatrizante e antinociceptivo na mucosite oral.

Por fim, os autores concluíram que as três plantas medicinais possuem uma efetividade nesta condição apresentada por paciente em tratamento de quimio e radioterapia, podendo ser utilizadas como uma alternativa de tratamento. Porém, existe a necessidade de mais estudos referente às propriedades das plantas medicinais na mucosite oral.

Referência

GOMES, Nílvia Maria Lima; SOUZA, Elaine Roberta Leite de; CRUZ, José Henrique de Araújo; OLIVEIRA FILHO, Abrahão Alves de. Fitoterapia como opção de tratamento para a mucosite oral. Arch Health Invest, 2021. vol. 10, n. 1, p. 11-17. Disponível em: <https://www.archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/3206>. Acesso em: 13 de set. de 2021

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *