CUIDADOS NUTRICIONAIS DO RECÉM-NASCIDO PRÉ- TERMO: FASES DA ALIMENTAÇÃO

 

A prematuridade é definida como o nascimento abaixo de 37 semanas gestacionais, segundo a Organização Mundial de Saúde. O aumento de parto prematuro tem sido relacionado ao crescimento dos fatores de riscos gestacionais, como o estado nutricional, uso de drogas ilícitas, álcool e cigarro.    Quanto menor a idade gestacional, maiores serão as possíveis complicações para o recém-nascido pré-termo (RNPT), considerando que o terceiro trimestre gestacional é caracterizado por ser o período em que ocorre o crescimento e desenvolvimento fetal. As principais consequências para o RN prematuro são: o déficit nutricional, a enterocolite necrosante, síndrome da angústia respiratória e a retinopatia.
Com o parto antecipado o recém-nascido não recebe da mãe os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento, podendo ocasionar o mau funcionamento de órgãos e deficiências no metabolismo dos macronutrientes, com risco de morbidade e morbimortalidade. A alimentação destes pretende impedir as consequências causadas pela carência ou pelo excesso de nutrientes, geralmente ocorre em fases e durante a internação esta se dá por duas vias, parenteral e enteral, com o leite materno ou fórmulas desenvolvidas para RNPT.
O período pós-internação ocorre quando o prematuro já se alimenta via enteral, sendo este um pré-requisito para a alta hospitalar. Esta fase requer cuidados especiais, sendo necessário que o prematuro tenha o crescimento superior aos que nasceram a termo.
A composição do leite produzido pela mãe de RNPT está adaptada para atender as maiores necessidades do prematuro. Em alguns casos o leite materno deverá ser suplementado para prevenir e diminuir possíveis intercorrências na vida adulta como o retardo do crescimento e do intelecto.

Atender as necessidades nutricionais do RNPT é um desafio para a equipe multiprofissional, pois é necessário garantir o aporte nutricional adequado para que ocorra o crescimento e o desenvolvimento semelhantes à vida intrauterina.

Conteúdo elaborado pela aluna Juliana Mello Estevo

Nutricionista pelo Centro Universitário São Camilo
Pós- graduanda em Nutrição Materno Infantil pelo Imen Educação.

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *