Associação entre composição corporal, saúde cardiovascular e Diabetes Mellitus Gestacional: Estudo Healthy Moms

Por Elizabeth Mendes e Silvia Ramos

Durante o período da gravidez algumas alterações metabólicas podem acontecer, como hiperglicemia e distúrbios hipertensivos. Estas mudanças podem estar relacionadas com a composição corporal da gestante, pois a obesidade é um fator de risco para o diabetes e hipertensão gestacional.

Outro fator importante de se analisar é que uma hiperglicemia durante a gestação, ou o próprio diabetes gestacional, podem levar a ocorrência de pré-eclâmpsia e mortalidade perinatal, além do risco de desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2. Da mesma forma, as alterações hipertensivas estão associadas à mortalidade materna e infantil.

Um estudo transversal publicado no Nutrition and Diabetes este ano verificou a associação entre composição corporal e aptidão física com a saúde cardiovascular, ou seja, glicemia e diabetes gestacional, resistência à insulina, pressão arterial e pontuação de MetS, no início da gravidez de 303 participantes. Os pesquisadores utilizaram os dados do ensaio clínico randomizado Healthy Moms – o qual examinou a eficácia de um aplicativo de promoção de ganho de peso saudável, alimentação e atividade física durante a gravidez de mulheres residentes na Suécia.

A composição corporal das gestantes foi avaliada por meio de pletismografia por deslocamento de ar. Foram realizados testes cardiorespiratórios, como o teste de caminhada, além da análise de força muscular por meio do teste de preensão manual com o dinamômetro.

Entre os resultados, foi observado que o índice de massa corporal (IMC), índice de massa de gordura (FMI) e a % de massa de gordura (%FM) foram positivamente associados com os níveis de glicose, HOMA-IR, pressão arterial sistólica e diastólica. O principal destaque deste estudo é que, mesmo utilizando um método de ponta para avaliação da composição corporal e observando fortes associações, o FMI e %FM não descreveram maior risco para o diabetes gestacional ou para os marcadores de saúde cardiovascular melhor do que o IMC.

Apesar das limitações, o IMC continua sendo um bom preditor para avaliação corporal e parâmetros metabólicos como diabetes gestacional. O ganho de peso adequado durante a gestação é imprescindível para garantir uma melhor qualidade de vida durante e após a gravidez, além de diminuir os riscos de complicações.

Referência:

HENRIKSSON, Pontus et al. Associations of body composition and physical fitness with gestational diabetes and cardiovascular health in pregnancy: Results from the HealthyMoms trial. Nutrition and Diabetes, v. 11, n. 16. 2021.

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *