A gastronomia como estratégia para aceitação alimentar do paciente oncológico.

 
 
   O tratamento antineoplásico compromete o sistema imunológico e reduz significativamente a ingestão alimentar do paciente, ficando suscetível à desnutrição. A perda de peso é apontada como fator de pior prognóstico clínico e pode estar associado ao tipo de tumor, ao estádio da doença aos órgãos acometidos e ao tratamento empregado (radioterapia, tipo de quimioterapia, etc).
   Como combater as náuseas e mucosites e conseguir aumentar sua aceitação alimentar? Usando a gastronomia como estimulador de apetite.
Comfort Food (alimentos que confortam a alma), finger food (pequenas porções) e realçadores de sabor como Umami, finalizadores, guarnições aromáticas e bases da gastronomia são técnicas da gastronomia que podem e devem ser aplicadas ao paciente oncológico, tanto no âmbito hospitalar quanto ambulatorial.
   Alimentar-se é um ato nutricional, e comer é um ato social ligado aos costumes, condutas e situações. O alimento e a alimentação trazem consigo diversas significações e implicações na vida das pessoas.
   A utilização da gastronomia como aliada da terapia nutricional é um procedimento inovador, proporciona resultados satisfatórios e ajuda o paciente a enfrentar os picos de toxicidades gastrintestinais causadas no decorrer do tratamento.

Conteúdo elaborado pela Profª Weruska Barrios
Nutricionista
Especialista em Nutrição Humana Aplicada à prática Clinica – IMEN
Sócia diretora da Grão Consultoria Nutricional
Coord. Grupo GENELAC – Grupo de estudos em nutrição Enteral e Lactário

 

 

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *