O câncer é definido como uma proliferação descontrolada de células malignas em um hospedeiro e considerado uma das principais causas de morte em todo o mundo. Entre os tipos de câncer conhecidos, o câncer colorretal (CCR) é um dos tumores malignos mais comuns em homens e mulheres. A incidência mundial dessa doença é significativa, com cerca de um milhão de casos por ano. Além disso, é a causa de mais de 500.000 mortes por ano, sendo a terceira causa mais comum de mortes relacionadas ao câncer. No Brasil, estima-se uma incidência de 34.280 novos casos ao ano e 15.415 óbitos.

O CCR possui múltiplas origens, tendo como principais fatores de risco hereditariedade, doenças inflamatórias, idade, dieta, obesidade e sedentarismo. Entre os fatores de risco ambientais, a dieta contribui com cerca de 35% dos novos casos. O alto consumo de calorias, gorduras e carnes vermelhas associado ao baixo consumo de frutas e hortaliças propicia uma maior incidência da doença. Acredita-se que uma dieta variada e adequada possa prevenir de três a quatro milhões de novos casos de câncer por ano.

Várias estratégias para auxiliar na prevenção e no tratamento coadjuvante antineoplásico vêm sendo estudadas, entre elas a ingestão de probióticos, prebióticos ou simbióticos. O estudo de Jacoby et. al (2017), teve por objetivo definir a validade do uso dos probióticos, prebióticos ou simbióticos como coadjuvantes no tratamento do CCR por meio de uma revisão sistemática da literatura.

Em resumo os achados encontrados foram que os prebióticos e probióticos são eficientes coadjuvantes no tratamento do CCR porque auxiliam na diminuição da infecção pós-operatória, da incidência e severidade da diarreia e do risco de complicações pós-operatórias, como sepse, ventilação mecânica e vazamento da anastomose, além de propiciarem uma recuperação mais rápida da função intestinal. A suplementação de pro, pre e simbióticos como coadjuvantes do tratamento de CCR mostrou-se benéfica, diminuindo a severidade e incidência de complicações durante e após o tratamento, tanto cirúrgico como radio ou quimioterápico, além de proporcionar melhora na imunidade e redução do desconforto do paciente. Porém, observou-se que é importante manter a medicação pré-cirúrgica padrão. A substituição dessa medicação por apenas probióticos ou simbióticos não demonstrou efeitos benéficos no pós-operatório, sendo recomendado, portanto, o seu uso concomitante na pré-cirurgia.

Deve-se, no entanto, destacar que, embora resultados positivos obtidos em trabalhos com uso de pro e prebióticos tenham sido verificados, o número limitado de artigos dificulta a generalização dos achados. Dessa forma, destaca-se a necessidade de futuros estudos de longa duração para elucidar melhor essa relação.

FONTE: JACOBY, Jéssica Tamara et al. Uso de pré, pró e simbióticos como coadjuvantes no tratamento do câncer colorretal. Clinical And Biomedical Research. 37(3)232-246, 2017. Disponível em: < https://goo.gl/kzsxfG > Acesso em: 20 nov. 2017.

Mayara Ribeiro

Estagiária de Nutrição

 Silvia Ramos

Nutricionista- CRN3/10908

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *