O câncer de mama é a neoplasia mais mortal em mulheres em todo o mundo, resultando em um fardo significativo para a saúde. Em muitos casos, o câncer de mama torna-se resistente às quimioterapia, radiação e terapias hormonais. Acredita-se que a genética não é a principal causa do câncer de mama. Outros fatores de risco contribuintes incluem idade no primeiro parto, idade na menarca, idade na menopausa, uso de contraceptivos orais, raça e etnia e dieta. A dieta demonstrou influenciar a incidência, recorrência e prognóstico do câncer de mama. As isoflavonas de soja têm sido um alimento básico nas dietas asiáticas, e parece haver um aumento, embora modesto, em comparação com as populações asiáticas, no consumo de soja entre os americanos. As isoflavonas são fitoestrógenos que possuem efeitos antiestrogênicos e estrogênicos em células de câncer de mama em cultura, em modelos animais e em ensaios clínicos. Este estudo investigará propriedades anticancerígenas e promotoras de tumores das isoflavonas alimentares e avaliará seus efeitos sobre o desenvolvimento do câncer de mama. Além disso, este trabalho procura elucidar as vias moleculares putativas pelas quais esses fitoquímicos modulam o risco de câncer de mama ao sinergizar ou antagonizar o receptor de estrogênio (ER) e nos mecanismos de sinalização ER-independentes.

 

Palavras-chave:

 dieta; fitoestrógenos; isoflavonas; soja; câncer de mama

Fonte: ZIAEI, Samira; HALABA, Reginald. Dietary Isoflavones and Breast Cancer Risk. Medicines.  18 (4): 04-11, 2017. Disponível em: < https://goo.gl/K4sdLj > Acesso em: 10 out. 2017.

Mayara Ribeiro

Estagiária de Nutrição

 

Silvia Ramos

Nutricionista- CRN3/10908

Sem comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *